Instituto Santo Pet

MEU CARRINHO
Você adicionou a sua lista de compras. O que deseja fazer agora?
Continuar Comprando! Fechar Compra!

Os perigos de deixar seu cão dentro do carro


  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Você já deve ter visto na internet alguns vídeos de pessoas que arrombam carros para salvar um cão que estava preso lá dentro.

Imagens como esta são bastante comuns pelo mundo inteiro, o que é preocupante!

Cães são como crianças pequenas, são seres indefesos que precisam da nossa ajuda para realizar as tarefas mais simples e não compreendem os riscos quando estão em situações perigosas.

No caso de trancar o cão dentro do carro, entre os problemas que ele pode ter está o Overheating, sobre o qual vamos falar hoje.

 

O que é Overheating?

s cães são como nós, humanos, e também são sensíveis às alterações climáticas como o excesso de calor ou de frio.

O Overheating, como o próprio nome diz (superaquecimento, em português) ocorre quando o cão fica exposto ao calor por muito tempo, o que desencadeia uma série de sintomas que podem levar à morte.

Para ter uma ideia do perigo de deixar o cachorro no carro, estudos mostram que um veículo parado sob o sol e com os vidros fechados tem um aumento de 80% de temperatura nos primeiros 30 minutos.

Nessas condições, o cão pode apresentar respiração rápida, hipersalivação, saliva espessa, mucosas de coloração vermelho escura, tremores musculares, vômitos, diarreia, falta de coordenação motora e até perda de consciência, desmaios e convulsões.

Quem protege o cão?

Nos EUA alguns estados já desenvolveram projetos nesse sentido, mas no Brasil não existe atualmente uma lei que proíba uma pessoa de deixar seu cão no carro.

O que pode acontecer é que, havendo uma denúncia contra o caso, a pessoa responda processo por maus tratos ao animal – o que sabemos que nem sempre acontece.

Portanto, se você não tem outra opção no momento a não ser deixar o cão no seu carro quando sair, alguns critérios são fundamentais não apenas para garantir seu conforto, mas principalmente para preservar a saúde do seu amigo de quatro patas.

Por exemplo, jamais deixe o carro completamente fechado. Sob o sol, o ar interno superaquece e coloca a vida do pet em risco imediato.

E mesmo que você estacione o carro sob a sombra de uma árvore, por exemplo, lembre-se de que com o passar do tempo a sombra muda de lugar e o risco será o mesmo.

A dica mais segura nessas situações de emergência é deixar uma fresta do vidro aberta, que não seja suficiente a ponto de passar o corpo, mas que consiga alcançar com seu focinho.

Em último caso, prefira deixar o carro no estacionamento próprio do lugar e peça ao segurança que fique de observação, avisando-o caso o cão manifeste algum dos sintomas acima.

Outros riscos de deixar o cão dentro do carro

Se o seu cachorro é do tipo hiperativo, é possível que ele comece a mastigar os estofados, o câmbio, etc.

Nesse caso, o pior problema não é o prejuízo material que você irá sofrer, mas sim o perigo de ele ingerir substâncias tóxicas, comumente presentes na espuma do estofado, ou engasgar com algum objeto pequeno.

A sensação de isolamento é igualmente terrível para cães mais ansiosos. Eles podem entrar em colapso ao perceberem-se sozinhos em um ambiente pequeno e fechado, colocando sua própria vida em risco.

Por fim, não deixe de considerar a possibilidade de roubarem seu carro com o cão dentro, ou do próprio cachorro ser roubado – o que acontece com cães de raças puras.

Como ajudar um cão sofrendo Overheating

Assim que perceber que um cachorro está superaquecendo dentro de um carro, você deverá imediatamente removê-lo do ambiente, levando-o para um local mais fresco.

Depois, resfrie as patas, a cabeça e a região do pescoço com toalhas molhadas para baixar a temperatura.

Mas atenção, não use gelo para resfriá-lo, apenas água fresca. Depois disso, sirva-lhe água o quanto ele quiser, mas se ele desmaiou não tente fazê-lo ingerir nesse estado.

Depois de prestar os primeiros socorros, leve-o ao veterinário mais próximo, mesmo que ele pareça bem.

Ele pode reagir ao alívio de não estar mais exposto ao calor, porém você não tem como saber se o overheating provocou alguma alteração nos seus órgãos.

O veterinário fará o atendimento adequado utilizando medicamentos específicos como glicose e corticosteróides.

Vale ressaltar que a única maneira realmente sensata de evitar que seu cão sofra um overheating é simplesmente não deixá-lo preso dentro do carro sob hipótese nenhuma, assim como você não deixaria seu filho pequeno, uma vez que já conhece os riscos.

Seja responsável pelo seu amigo

Ser tutor de um cão implica em oferecer todas as condições necessárias para que ele tenha uma vida segura e saudável.

Dessa forma, levá-lo a lugares onde cães não são aceitos é uma forma de expor sua saúde a qualquer perigo eminente.

Outras situações que colocam o cão sob o mesmo risco: passeios em horários de temperatura elevada e sol forte, locais sem sombra e piso artificial são combinações perigosas para qualquer cão.

E mesmo que não tenha sol forte, ofereça bastante água e faça pausas na caminhada.

E como se dizia antigamente, o que não tem remédio, remediado está. Se não pode levá-lo, deixe-o em casa e ele estará mais feliz e seguro.

 

Fonte: cachorrode29anos.com

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter