Instituto Santo Pet

MEU CARRINHO
Você adicionou a sua lista de compras. O que deseja fazer agora?
Continuar Comprando! Fechar Compra!

Como adaptar cães e gatos


  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Todo mundo já ouviu falar naquele termo “brigam como cão e gato”, e é verdade que em alguns casos é realmente assim, mas isso não é regra.

É possível ter um ambiente harmônico entre os cães e gatos, mas tudo depende da forma com que o dono administra a situação e vai introduzindo cada um deles a vida familiar.

Pode acontecer do animalzinho veterano sentir ciúmes do novato, mas há formas de contornar essa situação.

A rivalidade de cães e gatos não é totalmente um mito. Há certa dificuldade dos dois animais se darem bem por causa do instinto de dominar o ambiente. Cada um quer liderar o ambiente e tomar o território como seu, e isso gera algumas dificuldades no momento de adaptação dos animais.

No caso da adaptação entre cães e gatos, é importante levar em consideração que há uma diferença entre o temperamento de ambos. O cachorrinho, geralmente tem o costume de ser mais ativo, gosta de interagir com pessoas e outros animais, é tão apegado ao seu dono que já foi considerado ao longo dos séculos como “o melhor amigo do homem”. O gato já tem um temperamento mais arisco. Ele prefere privacidade e quietude. Não se importa tanto em interagir com as pessoas e outros bichos. Dependendo da situação, ele se impõe para defender seu território, caso alguém invada seu espaço.

 

Afinal, cães e gatos podem se dar bem?

Podem sim! Apesar desse instinto, é possível contornar isso e fazer com que os dois se tornem até amigos. O ideal é que o próprio dono incentive a união entre os dois animais. Muitas vezes, por causa de certo receio, alguns donos acabam incentivando, mesmo que indiretamente o afastamento dos animais, o que causa certo estranhamento, quando eles entram em contato.

Como adaptar?

Quando o cão e o gato são criados desde filhotes juntos é bem mais fácil, pois assim, o dono pode criar esse ambiente onde os dois são tratados de igual modo, e a convivência os leva a se adaptarem a presença um do outro.

Precisamos lembrar sempre que gatos e cães são diferentes, logo, eles têm um modo distinto de se relacionar com o mundo, o espaço, as pessoas e os animais. No caso dos gatinhos, pode ocorrer deles não se interessarem por interagir com o cão fisicamente, e está tudo bem. O importante é criar um ambiente acolhedor, onde os bichinhos se sintam à vontade e confortáveis. Cultivar um espaço para ambos, sem forçar essa interação torna a convivência mais saudável, evitando conflitos entre o cãozinho e o gato.

No caso de animais que entram para família em tempos diferentes, o melhor é que o dono mantenha um certo tempo de cuidado e aproximação aos poucos entre o animalzinho novato e o veterano.

Observar o mais velho, seu comportamento e premiá-lo quando fizer algum gesto positivo em direção ao novo membro da família pode facilitar essa aproximação.

E assim a família vai crescendo e se tornando mais unida, independente das raças!

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter